WhatsApp Image 2022-04-14 at 11.32.02
WhatsApp Image 2022-02-09 at 13.20.53
WhatsApp Image 2022-01-08 at 06.02.50
odonto-acre-1024x325-1-300x95
Propaganda GoVista
previous arrow
next arrow

Shopping popular de Rio Branco vai ser administrado por empresa privada, determina lei

Brasiléia, Acre

 

A lei que terceiriza a administração do Shopping Popular foi sancionada pela prefeita de Rio Branco, Socorro Neri, nesta quinta-feira (30). O local recebe o nome de Aquiri Shopping e deve ser administrado pela iniciativa privada por um prazo de seis anos.

A lei foi publicada no Diário Oficial do Estado (DOE) e deve ser regulamentada por meio de decreto em até 90 dias, de acordo com a publicação.

Em obras desde 2014, o Shopping Popular deve ser entregue no mês de agosto e está em fase de conclusão faltando apenas alguns acabamentos para a entrega. O empreendimento é uma das principais promessas de campanha da gestão.

Antes da aprovação, o PL chegou a ser retirado de pauta na Câmara de vereadores, no mês de julho, a pedido dos camelôs que queriam ser ouvidos e pediam alterações no PL.

A preocupação dos camelôs era a possibilidade de privatização do shopping. À época, o vereador e vice-presidente do Sindicato dos Camelôs do Acre, José Carlos Juruna, disse que o projeto foi retirado da pauta da Câmara a pedido dos comerciantes, que se sentiam prejudicados com a terceirização da administração do shopping. Mas, depois ele afirmou que conseguiram o que queriam.

“Fomos contemplados com tudo que queríamos. A gestão do shopping inicialmente era dez anos, mas conseguimos que ficasse em seis anos com a gestão igualitária com a gente e a empresa que vai ganhar, que vai participar da licitação. Daqui um ano tem uma revisão no contrato e se tiverem trabalhando certinho conforme nossa necessidade continua, senão poderá ser desfeito o contrato”, destacou o representante da categoria à época.

O G1 não conseguiu contato com o representante da categorias após a sanção da lei.

Ainda no mês de julho, a prefeitura já tinha afirmado que não tinha expertise para administrar um estabelecimento como o shopping, que vai ter 500 lojas e necessita de experiência para não ir a falência.

Então, foi criada uma Comissão de Transparência, que é formada pela Secretaria de Agricultura Familiar e Desenvolvimento Econômico e os camelôs, e contratou uma empresa de consultoria para orientar sobre a obra.

Redação FN

Fonte: G1

comentarios
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.