CARNAVALE CANTORES SITE (1)
WhatsApp Image 2022-04-14 at 11.32.02
WhatsApp Image 2022-02-09 at 13.20.53
WhatsApp Image 2022-01-08 at 06.02.50
odonto-acre-1024x325-1-300x95
CARNAVALE CANTORES SITE (1)
Propaganda GoVista
previous arrow
next arrow

Homem pede à polícia para ser preso para não matar ex

O confeiteiro Samuel Santos Souza, de 24 anos, pediu para ser preso pela Polícia Militar, em Vitória (ES), na terça-feira (22). O jovem foi até a casa da ex-companheira e fez ameaças a ela. No entanto, enquanto discutiam, uma viatura da PM passou pelo local e o rapaz pediu para que os agentes o levassem. As informações são do G1 e do Uol.

Reprodução© Reprodução Reprodução

Conforme Samuel, ele e a ex terminaram há quatro meses, após quatro anos de relacionamento. O casal também tem uma filha, de 3 anos. “Mandei várias mensagens dizendo pra ela que se ela não voltasse comigo ia matar ela e o cara que estava com ela. Essa é a realidade”, disse ao G1.

“Então, para isso não acontecer eu abri um BO [boletim de ocorrência] contra mim mesmo para proteger a vida dela e a da minha filha também. Fui na residência dela, me alterei, ela se sentiu coagida, passou uma viatura e eu mesmo chamei a viatura pra mim “, explicou Samuel.

Homem traiu a mulher

Ao Uol, o homem revelou que o relacionamento terminou após a mulher, de 32 anos, descobrir que ele a traiu três vezes. “Tenho consciência que estou errado. Por isso tive essa atitude. Não quero ser mais um que mata mulher. A decisão que eu ia tomar ia ser errada. Eu sei que vou estragar minha vida. Nunca passei por uma situação como essa. Estou aliviado porque aqui [na prisão] consigo deixar ela segura”, afirmou ao G1.

De acordo com a ex-mulher de Samuel, o homem nunca a agrediu. “Ele era ciumento e possessivo. A gente terminou e ele estava tranquilo, mas depois ele não aceitou o término e começou a me pressionar a voltar. Estava me ameaçando o tempo todo. Nunca colocou o dedo em mim, mas me ameaçava”, disse a vítima ao Uol.

Segundo a Polícia Civil, Samuel foi preso pelo crime de ameaça na forma da Lei Maria da Penha. Foi arbitrada uma fiança, mas que não foi paga. O confeiteiro foi levado para o Centro de Triagem de Viana.

comentarios
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.