WhatsApp Image 2022-04-14 at 11.32.02
WhatsApp Image 2022-02-09 at 13.20.53
WhatsApp Image 2022-01-08 at 06.02.50
odonto-acre-1024x325-1-300x95
Propaganda GoVista
previous arrow
next arrow

David Friedman em defesa do Unschooling

Embora Friedman tenha educado seus próprios filhos em casa, ele acredita que o unschooling é uma opção melhor.

Em uma entrevista com Kerry McDonald no Podcast LiberatED, o autor anarcocapitalista David Friedman, conversou sobre unschooling e o destacou como uma forma melhor de educação. O que se segue é uma tradução do artigo de Kerry sobre o podcast.

 

https://www.instagram.com/mahoustore/

 

Friedman, um físico, economista e professor de direito e filho do Prêmio Nobel Milton Friedman, é um defensor ferrenho do unschooling, ou da idéia de aprendizagem autodidata, não coercitiva, que ocorre como uma abordagem de ensino em casa ou em escolas unschooling, como aquelas modeladas na Sudbury Valley School em Massachusetts, fundada em 1968.

 

Kerry McDonald e David Friedman/LiberatED Podcast

Escrevi extensivamente sobre unschooling, o modelo de Sudbury e outras escolas unschooling em meu livro Unschooled 2019, e fiquei encantado em descobrir que a edição mais recente do conhecido livro de Friedman, “Engrenagens da Liberdade : Um Guia Para O Capitalismo Radical“, publicado pela primeira vez em 1973, contém um capítulo sobre “Unschooling” intitulado: “Unschooling: Uma Abordagem Libertária Para As Crianças.

 

Friedman ensinou seus próprios filhos e escreveu em Engrenagens da Liberdade e em seu blog: “Nossa experiência é que a unschooling não só salvou nossos filhos de ficarem aborrecidos nas aulas durante boa parte da semana, mas também lhes deu uma educação melhor”.

 

Friedman continua:

“O unschooling funcionou para nós, mas duas crianças muito brilhantes criadas por pais altamente educados não são exatamente uma amostra aleatória da população relevante. Há evidências de que funciona para muitas outras pessoas; os leitores interessados podem querer ver a literatura sobre a Sudbury Valley School, o modelo em que a escola onde nossos filhos começaram sua experiência de não unschooling foi construída. Pode haver algumas crianças que aprenderiam mais em uma escola convencional, até mesmo crianças que gostariam mais do processo. Mas, a julgar por nossa experiência, o unschooling, o homeschooling se não houver uma escola adequada disponível, é uma opção que vale muito a pena considerar”.

A pesquisa sobre a Escola de Sudbury Valley a que Friedman se refere inclui vários estudos acadêmicos e informais de ex-alunos. Um estudo de 1986 de Peter Gray e David Chanoff, publicado no American Journal of Education, conclui: “Embora estes indivíduos tenham se educado de maneiras muito diferentes do que acontece nas escolas tradicionais, eles não tiveram nenhuma dificuldade aparente em obter admissão ou adaptação às exigências do ensino superior tradicional e tiveram sucesso em uma grande variedade de carreiras”.

 

Gray, professor de psicologia no Boston College, elabora esta pesquisa em seu livro de 2013, Free To Learn. Ele e seus colegas Gina Riley e Kevin Currie-Knight publicaram descobertas semelhantes em um artigo de 2021 sobre os resultados dos ex-alunos da Escola Hudson Valley Sudbury, modelada depois de Sudbury Valley.

 

Embora Friedman tenha educado seus dois filhos em casa depois de enviá-los brevemente para uma pequena escola do tipo Sudbury na Califórnia, que fechou logo após a sua saída, ele acredita que educar crianças em escolas unschooling é preferível ao homeschooling. Ele gostaria de ver um mercado livre robusto de escolas unschooling com diferentes estruturas organizacionais das quais as famílias poderiam escolher.

 

“Meu sistema ideal, que não existe, seria ter escolas particulares múltiplas e concorrentes, onde o unschooling é administrado pela pessoa que a possui, assim como uma escola normal, mas é forçada a tratar bem os alunos pelo fato de que eles irão para outra escola, que é a forma como tratamos a maioria das coisas no mercado livre”

disse Friedman no podcast desta semana.

A enxurrada de empreendedorismo educacional nos últimos dois anos, incluindo a proliferação de microescolas, cápsulas de aprendizagem e colaborações de homeschooling e unschooling, pode estar nos aproximando mais da visão de Friedman e em direção a um robusto mercado livre de opções educacionais.

 

  • Artigo escrito por Kerry McDonald, publicado no FEE.org e traduzido e adaptado por Rodrigo E.Silva

 

https://www.instagram.com/techvwear/

 

Por Gazetalibertaria

comentarios

Comentários estão fechados.